Mas afinal, o que é um negócio social?

No dia 28 de setembro em Florianópolis, foi realizado o primeiro encontro do Social Good Brasil Lab, um laboratório para tirar do papel ideias que utilizem a tecnologia para melhorar o mundo, iniciativa de duas ONGs de Florianópolis, a ICom e IVA.

O que é um negócio social?

POR CAROLINA SONDA - Receba as novidades do blog aqui.
P.S.: Novo no blog?  Conheça nossos Posts Especiais.

O coordenador do Lab, Bruno Ávila Wolff Evangelista, conversou com a gente há alguns dias e nos auxiliou com a questão: mas afinal, o que é um negócio social?

Negócios Sociais

Os negócios sociais se situam no setor 2.5, entre o setor 2, comércio, e o 3, organização da sociedade civil. Eles funcionam como empresas normais que vendem o seu produto/serviço e tem o intuito de se sustentar financeiramente, porém, seu diferencial é que este produto/serviço gera um impacto social positivo. Elas oferecem, por meio de sua atividade principal, soluções para problemas da população de baixa renda.

Negócios sociais podem gerar impacto atendendo necessidades básicas (como saúde ou educação), possibilitando acesso a produtos/serviços que melhoram a vida de pessoas de baixa renda ou atendendo a necessidades imprescindíveis da vida destas pessoas.

Mercado

Segundo o Bruno, a área social está em crescimento e é grande o número de investidores interessados em alocar seu dinheiro em projetos que gerem impacto na sociedade. Existem casos de empresas que exercitam suas atividades e geram impacto social, porém não sabem que se encaixam no conceito de negócio social por acreditar que somente instituições sem fins lucrativos poderiam se classificar como tal, o que não é verdade.

Outro fator é que a maioria das ideias com estes impactos não conseguem se concretizar o suficiente para ganharem investimentos ou serem aceleradas e é neste momento que o Social Good Lab atua. Auxiliando estas ideias a se materializarem para poderem ser potencializadas.

Para ter uma visão geral da lógica de funcionamento dos negócios sociais, assista o vídeo produzido pela Choice, da Artemísia:

Características

Algumas características de um negócio social segundo a Artemisia são:

  • Vender um produto ou serviço que contribui para melhorar a qualidade de vida da população de baixa renda;
  • Esse produto ou serviço principal é capaz de sustentar financeiramente a empresa, de forma que ela não dependa de doações ou captação de recursos para suas operações;
  • Há comprometimento do empreendedor e sua equipe em melhorar a qualidade de vida da população de baixa renda;

Diferentemente de ONGs, os negócios sociais obtém seu sustento diretamente das ações que geram o seu impacto social.

Startups Sociais

Cidadera

Cidadera – um app que tem como objetivo mapear os problemas urbanos da cidade de forma colaborativa. Qualquer pessoa pode abrir reclamações do que está acontecendo na sua cidade como, por exemplo, um vazamento de água ou um buraco na rua.
Doabox

Doabox - uma plataforma de doações online que facilita o contato entre quem quer fazer uma doação de pessoas que estão precisando daquele produto. Basta adicionar uma foto do que vai ser doado, com descrição e a cidade onde o item está. Depois, é só aguardar até alguém entrar em contato para combinar os detalhes da entrega. As pessoas podem receber o mesmo número de itens que doarem, mas só quem doa pode receber.
Urbotip

Urbotip – um serviço criado com o objetivo de dar voz às pessoas que estão insatisfeitas com alguma questão, seja de trânsito, segurança ou infra-estrutura. Você encontra um problema que precisa ser resolvido na sua cidade e cria uma causa contando a sua história no site ou pelo aplicativo no celular.
Doare

Doare - uma rede de contribuição online, um portal de doações que facilita a captação de recursos para organizações do terceiro setor e o processo de contribuição para os doadores.

Compreendendo o que leva as pessoas a trabalhar com negócios sociais, fechamos este post com a declaração do Bruno:

“Sempre me questionei do meu papel na sociedade. A vida é muito curta para não se deixar uma marca. Sempre quis fazer a diferença no mundo onde eu vivo. Estudei em uma instituição pública de ensino (de certa forma, financiada pelos cidadãos), o mais correto seria que eu saísse e retribuísse à sociedade pelo que acreditaram em mim.
Os negócios sociais são a oportunidade de sanar todas essas vontades. Pois além de gerar um impacto social efetivo, melhorar a vida de muita gente e fazer uma diferença, a empresa é sustentável para se manter dentro do sistema atual.”

Gostou do assunto?

Você encontrará outros assuntos interessantes na nossa seção dos Posts Especiais.
Receba nosso conteúdo exclusivo por e-mail. Você vai gostar!

Até a próxima!

Carolina-Sonda

P.S. Ah! Deixe seu comentário dizendo o que achou do texto. Adoramos feedback!

 

Designer por formação, design thinker e estrategista por paixão; é fascinada por desvendar problemas complexos através de um mindset de inovação. G+